Diretor da Penitenciária de Paulo Afonso, diz que fuga de presos poderia ser ainda maior em uma guarita desativada

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
fdbcec46-b98e-47d1-9ed1-0a8cda507cb6

A reportagem da RBN 93,5 FM de Paulo Afonso esteve conversando com o diretor da Penitenciária Regional de Paulo Afonso, Alexandro Silva, para falar sobre a fuga de detentos da unidade prisional, na manhã da terça-feira (09), em “ponto cego” em uma guarita desativada.

Na avaliação do diretor, o número de fugitivos por este local não monitorado, poderia ser muito maior, de aproximadamente 78 presos.

“Algumas celas foram cerradas e graças aos nossos policiais que estavam de plantão, foi evitado uma fuga muito maior, mas apenas 10 conseguiram fugir, sendo que dois já foram recapturados. Temos informações de onde estes podem estar escondidos, já estamos fechando o cerco e vamos dar uma resposta a sociedade o mais breve possível”, disse Alexandro.

Reforço de mais 7 agentes do GEOP

“A partir de hoje estaremos à disposição do Conjunto Penal de Paulo Afonso para dar andamento à segurança da Unidade. Aqui já existe o Geop, estamos aqui para reforçar; somos sete mais o pessoal daqui somamos 15 agentes, vamos forçar uma estratégia para dar mais segurança ao presídio daqui”, disse o Número 01, da corporação.

Possível demolição desta guarita desativada

“Em uma unidade prisional cada tijolo que você tira de um local, pode comprometer toda a estrutura. A guarita ela foi projetada pra ficar em alguns pontos, onde mantem uma visualização de toda a unidade, além disso, esta guarita ela é presa ao muro que é amarrado com correntes de ferro pra manter a segurança do muro. A demolição desta guarita pode comprometer a estrutura do muro, é uma situação complexa, que só os engenheiros especializados em unidades prisionais podem nos dar uma melhor solução”.

Deixe uma resposta