Paulo Afonso: “Se a população não contribuir, vamos ter que tomar medidas mais drásticas”

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
815feca6-acef-49d2-bbd8-2f56935366e6

Na manhã desta terça-feira (07), o secretário de Saúde do município de Paulo Afonso, Dr Guiarone Garibalde, esteve concedendo entrevista a RBN FM, onde na oportunidade esteve destacando outras medidas de segurança para a população de combate ao COVID-19.

Guiarone alertou que a população não está fazendo sua parte, quando o assunto é aglomerações. O chefe da pasta de Saúde foi bem direto na sua fala ao se referir ao grande número de pessoas nas filas de bancos e casas lotéricas, desde a semana anterior.

“Temos que entender de uma vez por toda que este acumulado de gente, seja ele em qualquer ambiente, aumenta de forma significativa a disseminação do vírus. Vamos dar  início uma fiscalização no sentido de orientar as pessoas, para que sejam tomados todos os cuidados, que respeitam os limites de distância de uma pessoa para outra. Mas, infelizmente o município começará a tomar medidas mais drásticas. O cidadão ele tem que ter entendimento do que tem que ser feito, e como deve se comportar diante desta pandemia, onde ele não pode fazer certas coisas. Se as pessoas acharem que devem fazer aquilo que der na telha, o poder público vai tomar uma medida mais punitiva”, alertou Guiarone.

De acordo com informações, o coronavírus sofreu uma mutação no Brasil, ou seja, o vírus está atingindo desde uma criança de zero ano de idade, até uma oura com idade avançada.

“Não adianta se você é atleta, que corre, pratica várias atividades físicas, se a pessoa for infectada com o vírus, vai ser muito complicado o tratamento. Temos como exemplo o primeiro ministro da Inglaterra, que antes estava entre nós, passando informações e trabalhando no combate da pandemia e hoje infelizmente está em uma UTI, em estado de vida ou morte. Então veja que o negócio não é brincadeira. Eu acredito que é melhor está vivo, sair desta guerra vivo e recuperar o que foi perdido, do que não chegar no fim ”, disse o secretário

Com Informações da RBN FM 

Deixe uma resposta