Gerente regional da Embasa, diz que vereadores não tem autonomia de reduzir taxa de 80%

Postado por:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
81c9cad1-c1aa-404f-94bc-1eae1b76115e

A cidade de Paulo Afonso, vive um momento de grande expectativa para saber qual será o futuro da Embasa ( Empresa Baiana de Água e Saneamento ), no município , já que nesta quinta-feira (25), a Câmara de Vereadores, estará votando em Sessão Extraordinária, Projeto de Lei 026/2019, de autoria do Executivo que autoriza firmar Convênio de Cooperação entre Entes Federados celebrado entre o Município de Paulo Afonso e o Estado da Bahia, autorizando a gestão associada de serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário.

Mais tem um ponto muito importante que não é de conhecimento de todos, ou poderá está sendo usado como modelo de política visando às eleições de 2020, que já está bem próxima, sobre a tarifa dos  80% estipulado pela Embasa.

A questão é, será que os vereadores querem veemente defender os interesses da população, ou ganhar credibilidade na mídia com falsas propostas?

De acordo com informações do Zorobabel (gerente regional da Embasa ), o Legislativo Municipal, não tem poder por meio de votação, de derrubar a tarifa dos 80%, já que a  lei é federal. Neste ponto, somente à Assembleia Legislativa da Bahia, tem a prorrogativa de cobrar do Governo do Estado, uma possível redução.

“O sistema tarifário da Embasa, ele é feito para pagar os investimentos, investir em novos sistemas, para pagar a operação dos sistemas, manutenção dos serviços, comercial. Este modelo de tarifa, ele é feito para todo o Estado, dentro desta proporção leva-se em conta a tarifa da água, do esgoto, sendo que estas tarifas tem que ter um ponto de equilíbrio, ou seja, o resultado não é lucro, mais sim equilíbrio. A empresa está buscando os investimentos que o Estado precisa, é claro que a tarifa de esgoto é assunto que pode sim ser debatido, mais lá na Assembleia Legislativa da Bahia, e não em uma Câmara Municipal, porque não é o legislativo da cidade que tem a autonomia de modificar este valor tarifário”, disse o gerente regional em entrevista à RBN FM .

 

Deixe seu comentário