“A droga é uma ameaça constante aos jovens” diz funcionário da educação no encontro com o bispo dom Guido

Postado por:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
DSCF3129

PAULO AFONSO –  Marcos Antônio de Queiroz, diretor do Núcleo Territorial (NTE-24), responsável pelas instituições de ensino do estado [antiga Direc], recepcionou o bispo dom Guido e o Padre Gilmar, na tarde desta terça-feira, 1º de fevereiro.

O encontro abriu na paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a 20ª etapa da Visita Pastoral, iniciada em 2014, no município de Macururé. As visitas são previstas no Direito Canônico – conjunto de leis e regulamentos da Igreja Católica, a cada cinco anos.

A diocese de Paulo Afonso tem um território muito extenso, do tamanho do estado de Sergipe, e abriga 23 paróquias, o bispo dom Guido não conseguiu terminar o clico de visitas iniciados há quase cinco anos, porém,  percorreu todas as foranias exceto a São Francisco (Forania I), o que faz justamente agora, nas visitas à Perpétuo Socorro tendo  na sequência: Glória (Santo Antônio) São Francisco de Assis e Catedral.

Padre Gilmar, funcionários do estado e o bispo dom Guido, Visita Pastoral. Foto Pascom.

Dom Guido encontra Marquinhos, um velho amigo

O Núcleo está presente esses dias na Semana Pedagógica 2019, coordenada pela Secretaria de Educação de Paulo Afonso e, segundo Marcos, que reuniu os funcionários para uma conversa com o bispo, foi o momento propício: “Nós vamos iniciar a partir da próxima semana uma grande jornada em nossas escolas e eu acho importante essa troca de experiência com a igreja”, salientou.

Apresentando dom Guido, Marcos que é amigo do bispo de longa data, disse que o momento da visita refletia uma mudança de postura da Igreja, observada com o Papa Francisco, “Antes era o povo que ia nas igrejas, mas hoje eu tenho observado – pessoas que jamais pensariam em receber uma visita de um padre, ver o Papa chegar, entrar e tomar café com eles, é o que Jesus fazia – isso é uma atitude louvável que deve ser tomada como lição até para nós evangélicos, irmos em busca dos mais necessitados e sei que não se trata de proselitismo religioso.”

“Visita não é proselitismo, mas necessidade”, diz Marquinhos. Foto PASCOM.

Além de Marcos, outros funcionários do Núcleo contaram um pouco da rotina nas escolas, enumeraram as dificuldades que encontram hoje com muitos concorrentes dentro e fora das salas de aula. O mais sombrio deles é a fatal incursão de jovens no mundo das drogas.

“Às vezes nós temos que tomar decisões muito difíceis e chamar um pai e mostrar através das câmaras de segurança que o filho está usando drogas, nem sempre a família quer acreditar porque é uma situação muito complicada, aí nós vemos tudo desabar”, disse um dos funcionários.

“Começar pela educação é um sinal”, diz o bispo

“Diante da experiência de vocês, não é que eu tenha muita coisa a dizer, o significado da palavra educação é puxar para fora toda a riqueza de uma pessoa. Assim o trabalho aqui é puxar esse bem e criatividade dos professores, pois se nós não apoiamos os professores vamos ter muitas dificuldades”, iniciou o bispo.

Funcionários do Núcleo Territorial (NTE-24), em Paulo Afonso recebem a visita do bispo dom Guido e do Padre Gilmar. Foto Pascom.

 

Dom Guido, comparando a experiência das salas de aula e da catequese na igreja, afirmou que o problema de ambas, guardadas as diferenças, é atrair o interesse do jovem: “O maior desafio que eu percebo é despertar o interesse do aluno – não sei se estou errado – mas eles chegam à escola com pouca vontade, é também na catequese; despertar o interesse, e consequentemente, o envolvimento é o mais difícil.”

A conversa avançou e alguns exemplos como envolver os jovens em atividades de filantropia foi um ponto em comum tanto dos educadores como da igreja. “O jovem, muitas vezes vive uma situação de grande fragilidade, é suficiente o professor usar um tom mais forte e a confusão está armada, ou do contrário, ele fica ali indiferente a tudo”, comentou dom Guido.

O bispo, sempre acompanhado do Padre Gilmar,  ainda vai ter mais encontros com professores nas escolas do estado e municipais, de onde devem sair outras propostas de cooperação.

Do encontro de hoje, ficou certo que os coordenadores vão incentivar o recolhimento de garrafas pet para serem doadas ao Recanto Solidário (usadas na fabricação de vassouras) e por seu turno, o bispo ofereceu o espaço para pessoas que estejam precisando de recolhimento e tratamento de alguma dependência química. “Nós temos exemplos lá de jovens que conseguiram deixar o vício em drogas e álcool.”

Amanhã (03), dom Guido estará no Siriema.

 

Reportagem Ivone Lima.

Deixe seu comentário