‘O mal não prevaleceu’ desabafa Marconi Daniel após informar na tribuna que está livre de processos

Postado por:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
ver-marconi

PAULO AFONSO – Contido durante quase dois anos, após cravar a maior votação da história da Câmara Municipal, com 3.158 votos, o vereador Marconi Daniel (PHS), usou a tribuna da Câmara Municipal, na última sessão do 1º semestre, nesta segunda (25), para desabafar.

O Ministério Público Eleitoral havia pedido a cassação do diploma e registro de sua candidatura alegando que o parlamentar teria ultrapassado o teto máximo para campanha de vereador que era de pouco mais de $R 34 mil [o MP listou itens que não constavam na prestação de contas].

O processo chegou à última instância da Justiça Eleitoral em Brasília, e Daniel, segundo informou hoje, saiu-se vitorioso.

“Julgo totalmente improcedente a pretensão eleitoral de ambos os processos e está aqui, e eu espero que alguém diga pelo menos que o processo foi julgado, mas fui inocentado; essas pessoas que me denunciaram com a mentira até hoje não aguentam a derrota na eleição passada, são pessoas que acima de tudo só querem ver o mal, mas o mal não prevaleceu”, desabafou Daniel.

Marconi sem citar nome, mas dando a entender que se tratava do vereador  Mário Galinho – pois foi o parlamentar do solidariedade quem afirmou que Jean Roubert (PTB) foi o 1º colocado na eleição -, disse que respeitava e admirava Jean, mas que o 1º lugar assegurado era seu, Daniel jogou com todas as letras se deliciando, a votação estrondosa que obteve:

“Jean respeito vossa excelência, mas o senhor foi o segundo lugar, o primeiro foi Marconi Daniel com três mil cento e cinquenta e oito votos, sem interferência de justiça, votos que veem do povo de Paulo Afonso, é preciso acabar com a hipocrisia aqui nessa Câmara”, continuou Daniel.

Por Ivone Lima.

Deixe seu comentário